como reduzir o consumo de energia elétrica

Atualmente, nosso país passa por uma situação complicada quando se trata do uso de energia e água. Estiagens, manutenção inadequada de redes de distribuição e desperdício se combinam para criar esta situação, e conscientização é algo que pode ajudar a mudar esse cenário.

Que tal começar essa mudança por você? Além de contribuir para criar um planeta mais sustentável, acredite, você sentirá uma mudança considerável também em seu bolso. Economizar recursos e ter mais viabilidade financeira para outros projetos particulares causa impactos muito positivos no orçamento da família, concorda?

Mas se você não sabe ainda por onde começar, não se preocupe. Neste artigo, separamos algumas dicas sobre como reduzir o consumo em sua casa pensando em um ponto que tem muita representatividade na conta de energia e de água, que é o banho. Continue a leitura e coloque-as em prática!

1. Utilize um bom aquecedor a gás

O aquecedor a gás tem a função de disponibilizar água quente para o banho e para outros pontos de consumo. O aquecedor de passagem (também chamado de aquecedor instantâneo) a gás é um aparelho que trabalha conforme a demanda, ou seja, quando uma ducha ou torneira é aberta.

No Brasil, a certificação desses equipamentos é obrigatória (para aparelhos até 70kW de potência) e bastante rigorosa. O aparelho deve atender requisitos de desempenho e contar  com diversos dispositivos de segurança. O projeto e instalação destes aparelhos devem seguir as determinações de normas técnicas e ser realizado por profissionais devidamente qualificados. Dessa forma, o desempenho do sistema e a segurança dos moradores da residência são assegurados.

É importante optar por um modelo que tenha sido adequadamente dimensionado para atender a necessidade da família, em termos de número de banhos simultâneos e a vazão de água das duchas utilizadas.

2. Invista em um sistema de aquecimento solar

Um sistema de aquecimento solar usa uma fonte inesgotável de energia limpa. Ele é composto por um ou mais coletores (também chamadas de “placas”) que têm a função de absorver a radiação solar e transmitir essa energia para a água que circula em seu interior, assim aquecendo-a.

Também compõe o sistema um reservatório térmico, também conhecido como boiler, , que armazena a água aquecida para ser  utilizada na residência. O projeto de um sistema deve ser feito por profissionais capacitados, em conformidade com as normas técnicas para assegurar o seu bom desempenho.

Para completar, quando bem utilizado e cuidado, pode durar até muitos anos, com um retorno financeiro em médio prazo para o investimento a partir da data da instalação.

3. Escolha aparelhos eficientes

Na hora de escolher um sistema de aquecimento, não se esqueça de contar sempre com equipamentos eficientes e de qualidade. Além disso, procure sempre ter o auxílio de uma equipe especializada para realizar as instalações adequadas e assegurar que tudo tenha um bom funcionamento.

Verifique a ENCE (Etiqueta Nacional de Conservação de Energia), etiqueta que traz a eficiência do aparelho e outros indicadores para ter uma ideia do consumo mensal com a utilização.

Outra dica importante é, como já citado, assegurar que o sistema de aquecimento de água seja dimensionado para atender bem a necessidade da família. Sistemas mal dimensionados levam à ineficiência ou, no caso do solar, de uma dependência muito grande de sistemas de apoio, que diminuem o potencial de economia que eles possam proporcionar.

4. Tome banhos mais curtos

Sim, a água aquecida é mesmo uma delícia para tomar banho e relaxar. Mas isso não significa que você deve ficar debaixo d’água por muitas horas. Ou então, tomar inúmeros banhos por dia.

Independentemente do tipo de sistema que se utiliza para o aquecimento de água (gás, solar, elétrico ou qualquer combinação) a economia de água e energia já é razão para tomar banhos mais curtos. Diminua, gradualmente 1 minuto de seu tempo, até que chegue a um total suficiente para fazer sua higiene.

Também, em sistemas a gás ou elétricos, ajustar a temperatura da água de acordo com o clima, utilizando temperaturas mais amenas nos dias mais quentes garante o conforto e diminui o consumo consideravelmente. Aquecedores a gás digitais permitem o ajuste da temperatura desejada pelo painel de controle, para uma seleção precisa.

5. Considere um sistema de circulação de água quente

Sistemas centrais de aquecimento de água realizam este aquecimento de forma bastante eficiência. Porém, a configuração hidráulica de muitos imóveis faz com que a água aquecida tenha que percorrer um longo caminho de tubulação até chegar ao ponto de consumo (ducha ou torneira). E normalmente esta tubulação está cheia de água fria que precisa sair antes que a água quente possa chegar, sendo que essa água fria acaba sendo desperdiçada.

Uma solução é o arranjo da rede de água quente para que forme um anel de circulação. Desta forma é possível utilizar controladores automatizados que fazem com que a água da tubulação seja aquecida antes da abertura do ponto de consumo, evitando o desperdício de água e proporcionando mais conforto no uso.

6. Avalie resultados para entender como reduzir o consumo continuamente

Depois de colocar cada um desses passos em prática, é importante analisar seus resultados e avaliar como foi a economia do mês. Ter consciência a respeito desses números serve como um incentivo a mais para adotar essas e outras alternativas continuamente.

Isso também é necessário para entender exatamente de onde a redução vem. Ao sentir na prática os impactos na conta, você evita afrouxar os hábitos e adotar novamente, sem perceber, ações que envolvam o desperdício.

Ainda, use a oportunidade para conversar com sua família e mostrar como alguns detalhes fazem a diferença.

Agora que você já sabe como reduzir o consumo de sua residência, pode começar a se organizar para executar cada uma dessas dicas. Mesmo que a princípio não seja possível adotar todas essas práticas ao mesmo tempo, comece aos poucos e prossiga até atingir seu objetivo final. Você verá como a sua vida ficará melhor e poderá contar com um orçamento mais tranquilo para administrar em casa.

Este artigo foi útil para você? Cadastre-se em nossa newsletter para continuar recebendo mais dicas, informações e conteúdos como este!