aquecedor de passagem

O que representa o conforto quando você e sua família tomam um banho ou utilizam água para cuidar das tarefas domésticas? Com certeza, a temperatura da água é a resposta mais correta para essa pergunta. Afinal, se for fria ou quente demais, o conforto é seriamente comprometido. Para conseguir o equilíbrio ideal, o aquecedor de passagem é um dos equipamentos mais apropriados para alcançá-lo com precisão e eficiência..

Neste artigo, explicaremos sobre o funcionamento desse aparelho, seus principais recursos e benefícios, além de apontar qual é o melhor tipo. Confira os próximos tópicos!

O que é um aquecedor de passagem?

O aquecedor de passagem, ou aquecedor de água a gás do tipo instantâneo (como é chamado oficialmente em sua norma técnica), é um aparelho com a finalidade de esquentar água utilizando gás combustível, que pode ser gás natural (GN) ou gás liquefeito de petróleo (GLP), sendo que existem aparelhos apropriados para cada um dos tipos de gás..

Com respeito ao funcionamento, o aquecedor de passagem é constituído por diversos elementos, sendo que os dois mais proeminentes seriam a câmara de combustão (onde estão situados os queimadores) e o trocador de calor. No momento em que é detectado fluxo de água, os queimadores são acionados, e o calor gerado pela chama é transferido para a água que circula por dentro do trocador de calor, aquecendo-a. Este processo se dá de forma instantânea, sem a necessidade de armazenar a água em um reservatório.

Quais são as características desse equipamento?

Agora, olharemos mais de perto para as características e funcionalidades do aquecedor de passagem. Dessa forma, perceberemos que o seu projeto foi pensado para trazer o conforto que a família merece.

Acendimento automático

Antigamente, havia aquecedores de passagem que precisavam ser acesos com um fósforo, ou através de um dispositivo, e também aparelhos com uma chama piloto. Hoje em dia no Brasil ainda existem aparelhos assim instalados, mas aparelhos novos para se comprar possuem acendimento automático.

Um sensor de fluxo de água aciona todo o processo interno de funcionamento do aparelho através de uma placa eletrônica, gerando um centelhamento e liberando o gás para que os queimadores sejam acesos. O funcionamento é mantido enquanto o fluxo permanece, e é encerrado uma vez que este seja interrompido. Esta placa também monitora a chama, e em caso de apagamento por qualquer motivo, corta o fluxo de gás, por motivos de segurança.

Pressão e volume da água

Para que funcione corretamente, o aquecedor de passagem precisa de uma pressão e de um volume mínimos de água. Este requisito mínimo para o acionamento do aparelho vai variar de modelo para modelo de aquecedor. Alguns aparelhos, particularmente os do tipo mecânico, só acionam com uma vazão acima de 4 litros por minuto, o que significa que pode haver dificuldades ao tentar utilizar uma torneira ou o “chuveirinho”.

Além do mínimo para o acionamento, há de se considerar a pressão ideal para que o aparelho possa atingir a vazão nominal. Aquecedores de alta capacidade podem até acionar e entrar em funcionamento com uma baixa pressão hidráulica, mas não conseguirão funcionar a plena capacidade. Por esta razão, é importante verificar os requisitos mínimos de pressão do aquecedor e, se não for possível obter esta pressão, uma bomba pressurizadora de água deve ser utilizada.

Dito isso, normalmente problemas com pressão são geralmente observados somente no último ou penúltimo andares de um edifício, ou em casas.

Utilização simultânea

Existem aquecedores a gás de diversas capacidades, e boa parte deles podem fornecer água quente para mais de um ponto de consumo de forma simultânea. Isso depende tanto da potência do aparelho quanto da vazão destes pontos de consumo (duchas ou torneiras, normalmente). Em termos práticos, um aquecedor de 21 litros por minuto pode atender simultaneamente dois pontos de 10 litros por minuto cada (10+10=20), mas um aquecedor de 35 litros atenderia apenas um ponto de 30 litros por minuto, por exemplo.

Pode ser utilizado um aquecedor de vazão menor que a somatória das vazões dos pontos de consumo? Sim, mas aí neste caso os pontos não seriam simultâneos. Para exemplificar, um aquecedor de 20 litros por minuto poderia ser instalado para atender 8 duchas de 10 litros por minuto cada… mas no máximo duas delas poderiam ser abertas ao mesmo tempo.

Exaustão

Quando se fala em segurança dos aparelhos a gás, a questão de exaustão e renovação de ar é importantíssima.Os aquecedores a gás instalados em ambiente interno possuem uma saída para conexão a um duto de exaustão dos produtos da combustão (chaminé) que conduz estes gases para o exterior da edificação. Este duto deve estar adequadamente instalado e sempre em bom estado de conservação.

O local onde o aquecedor de exaustão natural (sem ventoinha para auxiliar na expulsão dos gases) ou de exaustão forçada (com esta ventoinha) é instalado deve possuir aberturas de ventilação permanente para garantir a renovação de ar. Se o local não tem aberturas permanentes, somente aparelhos do tipo fluxo balanceado podem ser instalados, o mesmo tipo também que deve ser utilizado no caso de ambientes pequenos (menor que 6m³), dentro de banheiros ou imóveis onde não há divisórias entre os cômodos (studios, kitchenettes, etc).

Por que o aquecedor de passagem digital é uma boa opção?

Como vimos no artigo, o aquecedor de passagem pode ser mecânico ou digital. O último é uma excelente opção, pois apresenta recursos que tornam o sistema mais eficiente e proporciona maior conforto ao permitir um melhor controle de temperatura. Por exemplo, existe uma função chamada automodulante, que ajusta o funcionamento do aparelho de acordo com a temperatura programada, variando conforme há alterações no volume e temperatura da água de entrada. Este controle é realizado por meio de uma placa eletrônica.

Assim, o usuário usa um controle digital para indicar a temperatura desejada, e o aquecedor faz os ajustes necessários em seu funcionamento automaticamente, otimizando o consumo de gás. Outra funcionalidade é a exibição dos códigos de erros — uma espécie de autodiagnóstico —, que apresenta dificuldades encontradas pelo sistema, como, por exemplo, a falta de gás.

E quanto ao custo? Embora o aquecedor de passagem digital represente um investimento um pouco maior do que o mecânico, o custo-benefício é enorme. Afinal, com a instalação correta, manutenção regular e alguns cuidados básicos, o tempo de vida útil é longo. Sem falar de todo conforto, da inovação e da tranquilidade que o equipamento apresenta — algo que faz toda a diferença no dia a dia da família.

Digital ou mecânico, ambos os aparelhos possuem sistemas de segurança integrados que monitoram o funcionamento e desligam o aparelho automaticamente em caso de problemas, visando preservar a integridade dos usuários. Nos aparelhos digitais, estes sensores estão conectados à placa eletrônica e seus indicadores são constantemente avaliados pelo sistema computadorizado.

Que bom que a tecnologia tornou nossos banhos mais agradáveis! Cabe a nós aproveitar essas comodidades e proporcionar tudo o que nossa família merece. Vimos neste artigo que o aquecedor de passagem é muito mais do que um equipamento, mas um parceiro que nos quer muito bem!

O que achou de nosso post? Entendeu como funciona um aquecedor de passagem? Deixe que outros também conheçam esse incrível equipamento! Para isso, compartilhe este conteúdo com os seus contatos nas redes sociais!